This site uses technical cookies to improve the browsing experience of users and to gather information on the use of the site.
to continue click on OK for more information click on Privacy Policy

AwareuBlog

  • Home
    Home This is where you can find all the blog posts throughout the site.
  • Bloggers
    Bloggers Search for your favorite blogger from this site.
  • Archives
    Archives Contains a list of blog posts that were created previously.

As pessoas com deficiência no contexto da União Europeia

Posted by on in AwarEU BLOG
  • Font size: Larger Smaller
  • Hits: 2289
  • Print

No mundo, elas são 360 milhões. Na Europa, somam 80 milhões1 e estima-se que até 2020, haja, no velho continente, cerca de 120 milhões de pessoas com deficiência.

O aumento da expetativa de vida e a relação estabelecida entre o avanço da idade e o desenvolvimento de deficiências2 , bem como os impactos socioeconómicos decorrentes de seu aparecimento3 , fazem da proteção jurídica destas pessoas uma necessidade e uma prioridade no âmbito da União Europeia (UE).

Acompanhando as iniciativas conduzidas pela ONU no cenário internacional4 , ações e políticas europeias para a deficiência vêm sendo desenvolvidas desde 1983 e, mesmo já tendo a UE previsto a sua proteção na Carta de Direitos Fundamentais da União Europeia (Art. 26.º) e no Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia (Arts. 10.º e 19.º), um passo inédito foi dado em 2010.

Ao ratificar a Convenção Internacional da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD), a União Europeia vinculou-se legalmente, pela primeira vez, a um Tratado de Direitos Humanos de âmbito geral, comprometendo-se com a efetivação de igualdade no acesso a direitos fundamentais pelas pessoas com deficiência e com a promoção dos princípio da não discriminação, da autonomia e da independência destas pessoas.

Este passo foi importante não apenas pela adoção – em nível europeu – de um novo conceito de deficiência (que abandonou viés exclusivamente médico e adotou uma abordagem social), mas também pelo estabelecimento de um novo ponto de partida para medidas, políticas e atos legislativos europeus voltados à esta população, dentre os quais se inclui a “Estratégia Europeia para a Deficiência (2010-2020)”5.

Sete anos a pós a ratificação da Convenção, os resultados obtidos pela UE6 englobam a aprovação da Diretiva de Acessibilidade Web7 ; a proposta do “EU Acessibility Act”8 ; aprovação da Diretiva 2010/64, que prevê assistência adequada às pessoas com deficiência na condução de processos penais; o lançamento como “projeto piloto” do “EU Disability Card”; a elaboração de previsões específicas para estas pessoas no programa Erasmus+; a aprovação da Diretiva9 voltada à cobertura de cuidados de saúde transfronteiriços; a realização anual da Conferência do Dia Europeu das Pessoas com Deficiência e a criação do “Access City Award”.

Contudo, há ainda desafios que precisam ser enfrentados, tais como: as altas taxas de pobreza e de evasão escolar das pessoas com deficiência; a necessidade de revisão das legislações europeias para que sejam compatibilizadas com os princípios norteadores da CDPD e a necessidade de assinatura e ratificação pela UE do Protocolo Opcional da CDPD.

Diante deste cenário, percebe-se que, embora haja muito a fazer, conquistas estão acontecendo contínua e progressivamente através de medidas, políticas e legislações que se fazem acompanhar de campanhas de conscientização capazes de ampliar o conhecimento dos cidadãos europeus sobre a importância e as vantagens da integração destas pessoas à sociedade, de modo a legitimar a implementação da CDPD.

Posted by Marília Higa, NOVA University of Lisbon, School of Law.


Notes:

[1] Comissão Europeia, 2017 (http://ec.europa.eu/social/BlobServlet?docId=16995&langId=en)

[2] Comissão Europeia, 2010 (https://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?uri=SWD:2017:201:FIN).

[3] Em levantamento realizado pela Comissão Europeia em 2010 (https://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?uri=SWD:2017:201:FIN) , verificou-se que dentre as pessoas com deficiência, a taxa de pobreza era 70% maior do que a da população em geral.

[4] Ano Internacional das Pessoas Deficientes em 1981; Década Internacional das Pessoas Deficientes ocorreu de 1983 a 1993.

[5] Estratégia que abrange 08 áreas principais: acessibilidade, participação, igualdade, garantia de emprego, educação, proteção social, acesso à saúde e promoção internacional dos direitos da pessoa com deficiência.

[6] Acesso em: http://ec.europa.eu/social/BlobServlet?docId=16995&langId=en

[7] Diretiva (UE) 2016/2102.

[8] COM/2015/0615.

[9] Diretiva 2011/24/EU.

Last modified on
Rate this blog entry:
2
FaLang translation system by Faboba