This site uses technical cookies to improve the browsing experience of users and to gather information on the use of the site.
to continue click on OK for more information click on Privacy Policy

AwareuBlog

  • Home
    Home This is where you can find all the blog posts throughout the site.
  • Bloggers
    Bloggers Search for your favorite blogger from this site.
  • Archives
    Archives Contains a list of blog posts that were created previously.

Construir o futuro com a inteligência artificial (IA)

Posted by on in AwarEU BLOG
  • Font size: Larger Smaller
  • Hits: 944
  • Print

Segundo alguns especialistas é já possível antever uma quinta revolução industrial, “povoada” de máquinas superinteligentes que serão determinantes na afirmação da nossa identidade e na organização do nosso espaço.

Se por um lado as oportunidades se afiguram imensas, a aceleração e amplitude dos progressos tecnológicos esperados forçam-nos a repensar desde já conceitos chave e práticas estruturantes do mundo real em que vivemos, sob pena de rompermos para lá do imaginável com os delicados equilíbrios que nos sustentam.

Embora haja um consenso generalizado sobre a imparável irrupção a curto prazo da inteligência artificial (IA) em todos os setores de atividade e sobre a imperiosa necessidade de a acomodarmos aos princípios da ética e do direito por que nos regemos, o certo é que o investimento consagrado à investigação e desenvolvimento em IA tem sido menor na União Europeia (UE) quando comparado com outras regiões.

Ciente de que a competitividade e prosperidade da UE passam pela rápida implementação de uma estratégia ambiciosa nesta área, a Comissão Europeia aprovou no passado dia 25 de abril uma Comunicação intitulada “Inteligência artificial para a Europa” em que propõe uma abordagem multidirecional capaz de suportar e incentivar um desenvolvimento tecnológico sustentado, compatível com os direitos fundamentais e direcionado para o bem-estar dos cidadãos.

Com as medidas propostas a Comissão pretende estimular a aplicação da IA a todos os setores de atividade, em especial aqueles que a curto prazo dela mais podem beneficiar, como é o caso da saúde, transportes e indústria transformadora, sem, no entanto, deixar de sublinhar que as transformações no tecido socioeconómico têm de ser atempadamente acauteladas.

Neste momento em que a IA nos impele para um novo ciclo que poderá ser, como dizia Stephen Hawking, o que de melhor ou pior vai acontecer à humanidade, é essencial que todos, cidadãos, entidades públicas e privadas, agentes institucionais e económicos se mobilizem e preparem para que a revolução anunciada, bem mais brusca e radical que as precedentes, seja portadora no final de maior liberdade, segurança e justiça.

Na Comunicação de 25 de abril a Comissão identifica alguns dos aspetos prioritários desse trabalho de preparação em que se incluem a elaboração do necessário arsenal jurídico, a promoção da inovação sustentada em princípios éticos e a união de esforços por parte de todos os parceiros na busca de soluções globais.

Mais que objetivos gerais a Comissão propõe medidas concretas em que se destacam a elaboração de um plano coordenado de cooperação com os Estados Membros até ao final deste ano e, até meados de 2019, a publicação de um relatório sobre as implicações mais urgentes a nível regulamentar em matéria de segurança e responsabilidade da IA.

Por parte do mundo académico espera-se um comprometimento na realização de alguns dos objetivos enumerados na Comunicação como sejam promover um variado leque de formações em IA, nomeadamente pela criação de cursos conjuntos com outras áreas como o direito, incentivar e facilitar a investigação científica, cooperar no estabelecimento de centros de excelência e promover parcerias com empresas privadas e organismos públicos.

Posted by Gabriela Caldas, NOVA University of Lisbon, School of Law

Last modified on
Rate this blog entry:
1
FaLang translation system by Faboba